Instalado há dois anos, núcleo baiano é pioneiro para flagrantes

  • 31 Ago 2015
  • 18:02h

Instalado há dois anos, núcleo baiano é pioneiro para flagrantes Foto: Antonio Queirós/Arquivo Correio

Na Bahia, um projeto semelhante ao do CNJ está implantado desde 2013. Criado pelo TJ-BA, o Núcleo de Prisão em Flagrante, instalado no Complexo Prisional da Mata Escura, já realiza audiências com pessoas presas em flagrante momentos após a prisão. Segundo o juiz Antônio Faiçal, coordenador do núcleo, o que muda com a implantação do programa do CNJ é a obrigatoriedade de ouvir a pessoa presa e a maior rapidez  na realização da audiência.


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.