Brumado Urgente

Brumado Urgente


'O acidente desta terça à noite não aconteceu por falta de sinalização', afirma Clidemar Risério

Ele explicou que o acidente provavelmente foi causado por velocidade acima do permitido

Quarta | 30.04.2014 | 12h40
Autor: Daniel Simurro / Brumado Urgente


O superintendente do SMMT, Clidemar Risério, explicou que existe uma sinalização adequada no local em que ocorreu o acidente (Foto: Daniel Simurro / Brumado Urgente)

O acidente ocorrido na noite desta terça-feira (29) na Av. João Paulo I, onde se envolveram em uma colisão uma Hilux e uma motocicleta acabou fomentando ainda mais as discussões sobre a referida via, já que, nos últimos dias, os acidentes se tornaram uma constante no local, inclusive com vítima fatal. No bojo das discussões, uma corrente da população acabou colocando a culpa do acidente na falta de sinalização, mas, na manhã desta quarta-feira (30), o Brumado Urgente ouviu o superintendente do SMTT (Superintendência de Trânsito e Transportes), Clidemar Risério, que de pronto declarou que “o local está muito bem sinalizado, então, dizer que o acidente ocorreu por falta de sinalização é um grande equívoco” e ainda acrescentou que “no local onde ocorreu o acidente, que é uma confluência de vias coletoras, existem cinco quebra-molas e placas R1 de PARE, sendo que as mesas estão muito bem visíveis, especialmente na Rua José Meira Leite, por aonde vinha a Hilux, sendo que na Av. João Paulo, que foi caminho em que o motociclista trafegava em sentido Fórum, também existe um quebra-molas ao lado da Clínica de Hemodiálise, então a sinalização está de acordo”. E subiu o tom ao argumentar que “então não se pode afirmar que o acidente foi provocado pela falta de sinalização no local, o mais certo seria supor que houve uma desobediência ao limite de velocidade no local, que é de 30 KM/hora, o que não vem sendo observado por muitos condutores, o que, provavelmente, como nesse caso, seja a causa do acidente”.  Questionado sobre o fato de o motorista da Hilux ser menor de idade, ele respondeu que “isso cabe às autoridades e a perícia provar, mas caso seja confirmado é um ato muito grave, que de acordo com a Legislação se torna um crime, tanto que, quem entregou à direção a ele, será responsabilizado criminalmente por isso”. 

Comentários

01.05.2014
Clidemar Amorim Risério
Concordo plenamente com o Sr. Luiz Afrânio, pois o seu comentário é bastante oportuno e serve como guia de conscientização, e com poucas palavras transmitiu um excelente recado aos condutores imaturos e irresponsáveis. Na minha opinião, o condutor precisa enxergar a sinalização de trânsito também com o "CÉREBRO". Do contrário, os sinistros de trânsito não reduzirá e sim, aumentará. Quando me refiro enxergar a sinalização com o "cérebro", esbarra na conscientização, de que trânsito é muito sério e perigoso. Pois o mesmo nível de conforto que o um veículo motorizado lhe proporciona, proporciona também de perigo quando ele é conduzido de maneira irresponsável. Já que uma minoria de condutores brumadenses não estão obedecendo a sinalização de trânsito, especificamente a placa de sinalização R-1 (PARE). Vamos então, fazer uma PARADA espontânea para reflexão, e dizer sim as placas de sinalização. TRÂNSITO SEGURO, DIREITO DE TODOS, mas para que isso aconteça é necessário que cada cidadão cumpra sua obrigação. É público e notório, que o direito gera de obrigação. DIGA NÃO AOS ACIDENTES, E SIM A CONSCIENTIZAÇÃO!!!
30.04.2014
Luiz Afrânio
Muito pertinente a explicação. É importante frisar que a sinalização por si só não impede o acidente. Ao condutor sim, deve-se atribuir a responsabilidade maior pela falta de atenção quanto ao que indica a sinalização.