Brumado Urgente

Brumado Urgente


Guanambi: Delegado é suspeito de receber R$ 50 mil para facilitar fuga de preso

Sexta | 31.03.2017 | 11h08
Autor: Bonny Silva / Rádio Cultura


Foto: Bonny Silva

Designada através da Portaria n º. 101 de 23 de março de 2017 Comissão de Sindicância Investigativa composta por três delegados Classe Especial, para apurar as denúncias contidas nos autos da de uma ação penal que tramita na Comarca de Guanambi que um ex-delegado de Guanambi favoreceu fuga de preso ligado ao tráfico de drogas. Segundo apurou a nossa reportagem, o alvo das denúncias é o delegado Noel Egídio de Souza e seu filho, que segundo a denúncia teriam se juntado um delegado da cidade de Brumado para armar a fuga do marginal Rodrigo Soares de Souza (Rodriguinho) mediante o pagamento de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), pagos pelo chefe do tráfico Fabiano Almeida dos Santos – Baú. Contactado o delegado Noel Egídio declarou estar tranquilo e rebateu as acusações, afirmando ser o responsável por um grande trabalho de repressão ao tráfico de drogas quando esteve à frente da Delegacia Territorial de Guanambi e combateu com determinação servidores envolvidos na prática criminosa de depenar veículos apreendidos para vender peças. 

“Policiais detinham de forma irregular a guarda de veículos apreendidos e combati com firmeza muita coisa errada acontecia, resultando na prisão do então servidor Zé do Pilão e isso fez com que muita gente não goste de mim. Isso é uma armação”, disse o delegado. Ainda segundo o delegado, quando prendeu o elemento Rodriguinho que vinha aterrorizando a cidade, este denunciou vários policiais militares que recebiam dinheiro do tráfico. Outra sindicância vai apurar denúncia formulada pelo Juiz de Direito da Comarca de Guanambi de que em 2012 servidores da delegacia negociavam a venda de peças dos carros apreendidos o que ensejou a remoção de todos os veículos, tendo sido constatado que os carros não possuíam registro de ocorrência policial. O prazo para conclusão dos trabalhos das duas comissões investigativas é de trinta dias.

Comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.