Brumado Urgente

Brumado Urgente


Resultado da busca pela categoria "editoriais"

Equipes médicas do HMPMN e do SAMU 192 recebem o reconhecimento pelo empenho em tentar salvar a vida do empresário Charles Meira

Sexta | 15.04.2016 | 14h50
Autor: Brumado Urgente


Um grande número de brumadenses acompanhou o empenho da equipe médica do HMPMN para salvar a vida do empresário (Fotomontagem: Brumado Urgente)

Muitos acreditam que a vida humana deva estar acima de qualquer outra coisa, sendo a sua preservação uma honra para os que assim o fazem. Esse pensamento, talvez um tanto quanto romântico para os dias de hoje, que se baseia numa simples frase poética que diz “minha vida precisa da tua vida, para ser vida”, nos leva ao “divã da consciência”, o que traz, automaticamente, o reconhecimento por aqueles que valorizam, acima de tudo, a preservação do maior bem que os seres humanos receberam, que foi o fôlego de vida. Nesse “auditório da reflexão”, estão várias categorias de pessoas, mas, os médicos e os profissionais de saúde têm um lugar muito especial, já que lutam, de forma incessante, todos os dias, na busca de salvar vidas, uma missão da mais alta importância. Trazendo essa reflexão para Brumado, não podemos deixar de ressaltar que, muitas vezes, os médicos e todos os que militam na área de saúde local, vêm, muitas vezes, muito criticados, algumas vezes com fundamento, mas, não podemos deixar de ser injustos e, por isso, também devemos valorizar, reconhecer e aplaudir, quando eles exercem a profissão com o maior empenho possível, como o que ocorreu na noite desta quinta-feira (14), onde as equipes do SAMU 192 e do HMPMN - Hospital Municipal Magalhães Neto, deram o seu melhor, fazendo de tudo para salvar a vida do empresário Charles Meira, que, infelizmente, acabou falecendo, vítima de um acidente trágico que aconteceu no KM 05 da BR-030. Várias foram as mensagens que chegaram à nossa redação, por parte de vários setores da sociedade, reconhecendo e reverenciando os esforços de todos esses profissionais que buscaram de todas as formas salvar a vida do empresário. O reconhecimento dessa atuação, mesmo que seja uma obrigação laboral desses profissionais, tem que ser estendido da forma mais ampla possível, não só no caso em questão, mas diuturnamente, pois o desafio de salvar vidas é uma missão incomparável, tanto que foi muito enaltecida por Cristo, que, inclusive tinha em seu colegiado de apóstolos, Lucas, que era chamado do médico amado. Que tenhamos cada vez mais médicos compromissados com o seu juramento e que, concomitantemente, tenhamos a melhoria contínua do sistema de saúde de nosso município, com a tão sonhada UTI, a Policlínica de Especialidades, a Faculdade de Medicina, que irá ampliar o quadro de médicos para que o hospital e as UBSs não fiquem descobertas e, sobretudo, venhamos ter governos que priorizem ainda mais a vida humana em sua essência, esse é o desejo de todos. 

'UP SIDE DOWN': As Propinas, o Terrorismo e as Olimpíadas

Terça | 22.03.2016 | 14h55
Autor: Brumado Urgente


(Fotomontagem: Brumado Urgente)

Esta terça-feira (22), em plena Semana Santa, trouxe dois acontecimentos que, apesar de terem acontecido tão distantes um do outro e, a princípio, não terem nenhuma ligação entre si, acabaram reforçando a ‘projeção’ dos ‘profetas de plantão’ que poderemos ter um episódio similar em nosso solo. Já com o reconhecimento da autoria pelo Estado Islâmico, Bruxelas foi alvo de atentados que causaram mortes e destruição, comprovando que o Terrorismo vem agindo de forma mais articulada e cirúrgica, escolhendo os seus alvos de forma criteriosa, deixando um recado de que a “guerra ao império ocidental” deverá aumentar ainda mais. Já nos solos tupiniquins, a nova fase da Lava Jato, intitulada “Xepa”, veio mostrar que as “veias da corrupção irrigadas pelas doses cavalares das propinas”, também pode ter atingido a maior paixão nacional, o Futebol, no caso específico, um dos maiores clubes do país, o Corinthians, que, segundo as investigações pode ter tido a “contribuição” da empreiteira Odebrecht de R$ 500 mil, dados em propinas aos dirigentes do clube. Vale ressaltar que o “Itaquerão” foi um dos palcos da Copa do Mundo de 2014. Fazendo o link entre os dois fatos, podemos, no mínimo, imaginar que às Olimpíadas do Rio de Janeiro que acontecerão em agosto e reunirão atletas de vários continentes também estariam ameaçadas por essas duas “pragas”. A possibilidade existe, apesar do Brasil nunca ter apresentado ações terroristas e há quem garanta que isso nunca irá acontecer no país. Já na outra extremidade, as propinas são mais prováveis de poderem desfilar nas “raias da competição”, pois no Brasil de hoje, isso não seria de se estranhar. Então, diante disso, fica a suspeita no ar de que a pureza dos ‘ideais do Monte Olimpo’, onde vence quem realmente é o melhor, pode ser atingida por esses grupos nefastos. Nesse momento em que o mundo atravessa uma fase “Up Side Down’ (de cabeça para baixo), qualquer possibilidade é possível, então, é provável que as autoridades mundiais já tenham atentado para isso e as grandes agências de serviço secreto mundial já devem até estar na Cidade Maravilhosa, fazendo toda a espécie de checagem para evitar que as Olimpíadas do Rio de Janeiro, que já são consideradas as mais conectadas de todos os tempos, venham a ser atingidas pelas ações do Estado Islâmico ou de qualquer outro grupo terrorista. Já na questão propina, também não seria improvável que, a tropa de choque do “Império de Curitiba”, possa encontrar indícios de que possa ter existido essa prática na construção do parque olímpico e em toda a realização dos jogos. É torcer, clamar aos céus e esperar que, tudo corra bem e que o Brasil, que é um país pacífico, possa realizar a maior Olimpíada da Era Moderna, inclusive com a conquista de muitas medalhas de ouro. 

Um incentivo à investigação no exercício do jornalismo

Domingo | 13.03.2016 | 09h12
Autor: Por Guilherme Bittar / OI


(Foto: Divulgação)

A conquista do principal Oscar de 2016 por Spotlight premia não apenas um grande filme com um elenco magistral, no qual brilham Michael Keaton e Mark Ruffalo, mas consagra, sobretudo, o bom jornalismo. Dos concorrentes ao Oscar, Spotlight era o mais impactante em termos políticos, o que pode ter pesado na escolha como melhor filme do ano. Trata-se de um longa biográfico, que narra uma investigação jornalística desenvolvida por um time de repórteres que abalaria as estruturas da Igreja Católica. O filme se passa entre 2001 e 2002 em Boston, uma cidade americana de porte médio (645 mil habitantes). A história sacode o vespeiro que é a questão da pedofilia na igreja e mostra que jornalismo é fundamental, quando feito com independência, estrutura e determinação em investigar. Spotlight é honesto. Elenco e roteiro dão verossimilhança à história, sem se valerem de velhos clichês que costumam envolver histórias desse tipo, normalmente conduzidas por tipos caricatos de repórteres deslumbrados. O roteiro é sóbrio e ajuda a entender os bastidores de uma profissão difícil, compreendida por poucos. Pressões e porta na cara de jornalista estão lá, ameaças, além de tentativas de acobertar informações que deveriam ser de acesso público. The Boston Globe possui uma equipe de repórteres especializados em investigação, chamada de Spotlight. Eles podem ficar meses debruçados num assunto e não conseguir êxito. Ou então puxar o novelo de uma grande história, de impacto mundial, a exemplo dos escândalos na igreja. E ter a coragem de publicar. Mostrando os fatos, sem contemporizar, com o destaque que merecem ter. A despeito dos conchavos que uma instituição poderosa pode sugerir. A pauta sobre pedofilia na igreja já estivera à porta do Boston Globe em outras ocasiões, sem receber atenção. Foi preciso chegar um novo editor, Marty Baron, vindo de outra cidade, talvez por isso descontaminado pelo tipo de relações locais. É ele quem incentiva a equipe a levar o assunto adiante.

Brumado: A triste sina dos jovens que entram para o caminho sem volta do crack

Domingo | 20.12.2015 | 14h50
Autor: Brumdo Urgente


(Fotocomposição: Brumado Urgente)

A juventude brumadense que, há décadas atrás, era, reconhecidamente, um “time de saudáveis”, tendo inúmeros talentos no esporte, principalmente no futsal, que, inclusive, era reconhecido como o melhor da Bahia, hoje, infelizmente não pode mais ter esse status, pois, a droga, principalmente o crack, mudou o perfil comportamental de uma parte da juventude brumadense, principalmente nos bairros periféricos, que acabou não resistindo ao “canto da sereia” e pegando a “estrada sem volta”. Esse novo quadro social, que é fomentado pela falta de políticas públicas para os jovens, que se veem desassistidos pelos sistema, se tornando presas fáceis para os traficantes, mostra uma situação extremamente preocupante, já que parece que as autoridades vêm perdendo a guerra para o tráfico que se mostra cada vez mais implacável e fulminante. A morte brutal de dois jovens no período de 48 horas, - os quais tinham envolvimento com o mundo dos tóxicos -, vem comprovar um cenário extremo de violência em Brumado, que é “ditada” pelo tráfico cada vez mais frio e cruel, que tira de cena um jovem como se ele fosse uma simples folha de papel. A grande questão é o que fazer para conter esse ímpeto voraz e devorador deste vício que dilacera as famílias que ficam marcadas por toda a vida?; o que fazer para que mais mães não venham a chorar nos caixões de seus filhos as lágrimas do desespero e da desolação?; o que fazer para que esta nova geração de adolescentes também não venha a entrar nesse vício e passe a engrossar as fileiras dos “cracklados” e também venham a sucumbir deixando sonhos e projetos para trás?. São questionamentos que somente os governos podem responder, enquanto isso a sociedade terá que continuar assistindo passivamente a este filme de terror que é protagonizado pela “pedra maldita”. 

A migração das emissoras de AM para FM

Sábado | 29.03.2014 | 14h39
Autor: Por ‘Tela Viva’

O processo de migração das 1800 rádios que ainda operam em ondas médias (AM), no Brasil, para o sistema de frequência modulada (FM), uma antiga reivindicação do setor de radiodifusão, deve concluir sua primeira fase até o final de agosto, quando será realizado o Congresso da Set, integrado ao Set Expo, em São Paulo. Rodrigo Neves, presidente da Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado de São Paulo (AESP), disse esperar que, até a data de realização do evento, a maioria das emissoras AM já tenha concluído de forma voluntária a migração. A previsão coincide com a do Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo da Silva, durante a assinatura no dia 12 de março da Portaria Nº 127, publicada em 13 de março, que definiu como os radiodifusores devem proceder para pedir a mudança da frequência e a forma como os processos vão ser analisados pelo MiniCom e pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Na ocasião, ele disse ter a expectativa de poder anunciar as primeiras rádios migradas durante o congresso promovido pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão. Autorizada em novembro do ano passado com a assinatura do Decreto Nº 8.139, pela presidenta Dilma Rousseff, a migração dos canais poderá avançar a partir de agora, devendo passar por sessões públicas em cada estado brasileiro, nas quais os radiodifusores poderão fazer a solicitação formal de migração por meio de um formulário. Rio, São Paulo, Minas e Santa Catarina já possuem sessões marcadas para o próximo dia 24. Após o dia 9 de abril, em que está previsto o término das sessões públicas, caberá à Anatel, que é responsável pela administração e atualização do Plano Básico de Canais na faixa FM, a realização de estudos de viabilidade técnica em cada unidade da federação para determinar se há espaço para a migração de todas as emissoras interessadas em cada município. Mudar de AM para FM representa um investimento de em média R$ 140 mil, na avaliação de Neves, considerando que a maioria das emissoras opera em uma potência de classe C, de até 1 KW. O valor cobre o pagamento da adaptação da outorga e os custos de modificação de estúdio, transmissor, de antena e torre. Contudo, de acordo com o presidente da AESP, a migração tornará as rádios mais competitivas. Como forma de tornar a migração viável a todas as emissoras, a AESP está desenvolvendo gestões junto às instâncias governamentais para conseguir que o BNDES ou algum de seus parceiros libere uma linha de financiamento aos interessados na mudança. As emissoras de rádio AM representam atualmente 40% do total das 4,5 mil emissoras de rádio legalmente instituídas no Brasil.

O que os brumadenses podem esperar de 2014 ?

Sábado | 04.01.2014 | 14h30
Autor: Daniel Simurro / Brumado Urgente


O ano de 2014 se inicia na capital do minério, trazendo com ele as expectativas de dias melhores, mas, no quadro frio da realidade, o que os brumadenses podem esperar deste ano que vem acompanhado de grandes eventos como a Copa do Mundo e as Eleições para presidente e para governador? Será que as grandes urgências do município serão atendidas?; será que a população poderá contemplar a execução de obras tão imprescindíveis para o progresso do município como a implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário; a construção da segunda etapa da Barragem de Rio de Contas; a construção da Sede da Uneb; o aumento do efetivo das Polícias Civil e Militar; a implantação do CDP e a construção da UTI para o Hospital Magalhães Neto? Essas são perguntas que necessitam de respostas e que só o tempo responderá, mas, a princípio, as dúvidas e as incertezas estão bem avantes nessa disputa. No embalo da Copa do Mundo, a única obra que parece certa para ser entregue à população em 2014 será o novo Estádio Gilbertão, que já tem mais de 50% concluído e que deve ter a sua finalização provavelmente ainda no primeiro semestre, o que vai ser um grande motivo de comemoração para os desportistas locais, pois irá promover uma nova era para o futebol local. Fora isso, tudo ainda fica no “campo” das expectativas e promessas, já que, como é ano eleitoral, existirão os impedimentos legais, que acabarão sendo o esteio para as “desculpas esfarrapas” dos governantes. 

Brumado: A Fiol, a Caveira de Burro e os Deputados Paraquedistas

Terça | 19.11.2013 | 09h37
Autor: Daniel Simurro / Brumado Urgente


(MontagemIlustrativa: Daniel Simurro)

A sessão desta segunda-feira (18) da Câmara de Vereadores de Brumado saiu dos "trilhos" normais e acabou se constituindo num grito voraz dos parlamentares contra o descaso que o município atravessa por parte dos governos e de seus representantes nas esferas maiores do poder. Tendo como substância a realização de uma audiência pública sobre a Fiol, os vereadores não pouparam críticas à forma como a capital do minério vem sendo tratada e “saindo do salto” alguns vociferaram algumas frases emblemáticas como “não vamos ficar vendo somente o trem passar, não vamos deixar isso acontecer”; “é um desrespeito que estão fazendo com a nossa gente, estão destruindo as estradas no meio rural, fazendo detonações absurdas e tantas outras coisas e, depois irão embora deixando somente o legado dos trilhos, isso não pode ficar dessa forma”; “se Brumado não receber um porto seco vamos fazer um protesto e não deixar o trem passar por aqui”.