Brumado Urgente

Brumado Urgente


Resultado da busca pela categoria "curiosidades"

Por que é tão difícil dormir em noites quentes?

Terça | 24.01.2017 | 20h15
Autor: Veja


(Foto: Ilustração)

Há quem ame e quem odeie o verão. Mas mesmo os amantes da estação tendem a concordar que é difícil adormecer e ter um sono de qualidade em noites muito quentes – a menos que você tenha um ar condicionado. Geralmente, a manhã seguinte a uma noite de verão sufocante se reflete em um despertar não muito agradável. Você acorda meio grogue, cansado, irritado, quase como se estivesse de ressaca. Mas, por que isso acontece? De acordo com o especialista em sono David Hillman, em entrevista à emissora de rádio australiana ABC Radio Sydney, quando a temperatura externa supera os 24ºC nós ultrapassamos a chamada zona termoneutra – quando a temperatura interna do corpo está em equilíbrio com a temperatura externa. Nossa temperatura corporal média é de 37ºC e o corpo consegue mantê-la de forma confortável quando a temperatura externa está em 24ºC. Porém, em um clima mais quente, o corpo começa a se sentir desconfortável e precisa trabalhar mais para manter essa autorregulação interna. 

Saiba por que cachorros grandes vivem menos

Domingo | 15.01.2017 | 18h07
Autor: Veja


(Foto: Reprodução)

Na maioria dos mamíferos, quanto maior o tamanho do animal, maior é a sua expectativa de vida. No caso dos cães, no entanto, essa lógica é invertida. Cachorros menores tendem a viver mais do que os de grande porte. Segundo uma pesquisa da Sociedade para Biologia Integrativa e Comparativa, a causa mais provável é que a maior concentração de radicais livres de oxigênio presente nos filhotes de raças grandes esteja diminuindo sua expectativa de vida. Para conseguir energia suficiente para crescer e realizar suas atividades, o corpo precisa quebrar nutrientes presentes no alimento ingerido. Porém, quando isso acontece, algumas moléculas chamadas de radicais livres também são fabricadas no processo – moléculas instáveis que apresentam um elétron e reagem facilmente, podendo oxidar. O problema desses subprodutos é que eles podem danificar as membranas das células e eventualmente contribuir para o desenvolvimento de câncer e outras doenças. Alguns estudos também sugerem que eles podem contribuir para o envelhecimento, embora essa afirmação ainda não seja consenso entre especialistas.

 

Chance de morte por AVC é menor entre casados, aponta pesquisa

Domingo | 01.01.2017 | 15h04


(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Duke, nos Estados Unidos, identificou uma menor probabilidade de morte por Acidente Vascular Cerebral (AVC) entre pessoas casadas. O risco de morte de quem nunca casou é quase 55% maior, usando os casados como base. Já os viúvos têm aumento de 32% na chance de morrer, com o mesmo referencial. Segundo o blog Cadê a Cura, da Folha de S. Paulo, a maior vantagem é registrada entre aqueles que têm uma única e contínua união. Para o pesquisador Matthew Dupre, líder da pesquisa, pesquisas similares podem ajudar os provedores de saúde a atender e prevenir derrames e mortes em quem corre maior risco. Foram analisados dados de quase 10 mil norte-americanos com mais de 50 anos de idade.

Não vai tão cedo: astronomia faz dia 31 de dezembro ter um segundo a mais

Sábado | 31.12.2016 | 08h02
Autor: Bahia Notícias


(Foto: Reprodução)

Enquanto muitas pessoas desejam o fim de 2016, os astros trabalham para atrasar a virada de ano. O último minuto do dia 31 de dezembro será prolongado e terá 61 segundos de duração. A alteração acontece para compensar as pequenas variações na duração do dia que se acumularam e provocam distorções entre o tempo marcado nos relógios atômicos e o período de rotação da Terra. Quando a diferença supera 0,9 segundo, o Serviço Internacional da Rotação Terrestre decide "mudar" o tempo. Segundo Francisco Colomer, do Observatório Astronômico Nacional da Espanha (OAN-IGN), o período de um dia não dura 24 horas exatas: "é uma aproximação". Esta não é a primeira vez que um dia ganha um segundo a mais, chamado de "segundo intercalar". A última vez aconteceu no dia 30 de junho do ano passado. O último caso em um Réveillon foi em 2008.

Comércio pela internet cresce na contramão da crise

Quinta | 29.12.2016 | 20h01


(Foto: Reprodução)

A gente vem falando em crise, queda nas vendas no Natal. Mas se tem um setor que está terminando o ano com crescimento é o comércio pela internet. O principal motivo é o crescimento da base de consumidores. Tem cada vez mais gente conectada, nos computadores e celulares. O outro motivo é que o setor também aumentou a eficiência e, com isso, vem ganhando a confiança dos compradores.

Sofrimento emocional pode levar a problemas cardiovasculares

Quinta | 29.12.2016 | 19h04


(Foto: Reprodução)

A reação próxima entre sofrimentos emocionais intensos e a ocorrência de problemas cardiovasculares pode explicar alguns dos casos em que um paciente tem um mal súbito pouco tempo depois da morte de uma pessoa próxima. É o que pode ter ocorrido com a atriz Debbie Reynolds, de 84 anos, que morreu nesta quarta-feira (28) apenas um dia depois de sua filha, a atriz e escritora Carrie Fisher. Debbie sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e seu quadro chegou a ser classificado como de moderado a grave, mas ela acabou não resistindo. Segundo o cardiologista José Ibis Coelho das Neves, do Hospital BP (Beneficência Portuguesa de São Paulo), um AVC pode ser desencadeado por um estresse emocional agudo. “Um evento de estresse pode ser o gatilho do aparecimento desse processo. Por isso vemos pessoas que passaram por um estresse grande e tiveram AVC logo em seguida."

Avós que cuidam dos netos têm maior expectativa de vida, aponta pesquisa

Quarta | 28.12.2016 | 19h03


(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido na Alemanha descobriu que ajudar na criação dos descendentes é benéfico para a expectativa de vida. Os pesquisadores analisaram dados de 500 pessoas, com idades entre 70 e 103 anos, acompanhadas pelo Estudo de Envelhecimento de Berlim ao longo de 19 anos. Foi analisada a diferença da taxa de mortalidade entre avós que ajudam na criação dos netos e idosos sem netos ou que não convivem com eles. Segundo a revista Super Interessante, os resultados mostraram que a convivência com os netos reduz em 37% o risco de mortalidade. Metade do grupo dos avós participantes viveu por dez anos após o início do estudo. No outro grupo, metade viveu por apenas mais cinco anos. Entre os idosos que ajudavam os filhos, a expectativa de vida registrada também foi maior. A sobrevida média foi de sete anos, em comparação com os quatro anos vividos por aqueles que não mantinham uma relação de colaboração. Os pesquisadores disseram acreditar que a relação com a família e de responsabilidade dentro dela ajuda a uma manutenção do estado físico e psicológico de idosos.

Presente entregue fora do prazo vale indenização; saiba o que fazer

Segunda | 26.12.2016 | 14h26


(Foto: Reprodução)

Encontrar o presente perfeito pode levar tempo e, às vezes, só dá para encontrá-lo pela internet. Mas, imagina se a lembrança comprada para o Natal atrasa e só chega após a festa? Pois é, o Natal passou e muita gente acabou enfrentando mesmo problema. Foi justamente o que aconteceu com o analista de sistemas Pedro Dantas, 27 anos.  “Eu comprei um livro para um amigo secreto, mas acabou que o livro atrasou e não chegou a tempo. Como não podia participar do amigo secreto sem presente, tive que comprar o presente na própria loja física, o que acabou saindo mais caro, quase o dobro do valor”, reclama. 

Não conseguiu emprego em 2016? Veja o que avaliar na busca por vaga em 2017

Domingo | 25.12.2016 | 15h02


(Foto: Reprodução)

Com  o desemprego em alta em 2016, superando a marca de 12 milhões de pessoas fora do mercado de trabalho, quem está em busca de uma recolocação deve refletir sobre os rumos da carreira e sobre o que pode ser feito para conseguir o tão sonhado emprego no ano de 2017. “Encerrar o ano realizando autoavaliação sobre desempenho nos processos seletivos e os principais direcionadores de busca por vagas são passos importantes para a recolocação em 2017. Sempre que possível, peça feedback para os entrevistadores sobre sua participação, sendo o retorno positivo ou negativo”, afirma Roberto Didio, gerente de RH da unidade carioca da Luandre.  Segundo o especialista, se o candidato não foi chamado para nenhuma entrevista no período em que esteve desempregado, convém analisar a compatibilidade curricular com as oportunidades pretendidas. Podem fazer a diferença atualização de contatos, organização das informações e a síntese na elaboração do currículo. Segundo ele, não se deve economizar na prática de networking (contatos profissionais), ferramenta decisiva para promover conexão constante com o mercado de trabalho.

Celular se consolida como principal meio de acesso à internet no Brasil, aponta IBGE

Domingo | 25.12.2016 | 09h02


(Foto: Reprodução)

O Celular se consolidou como o principal meio de acesso domiciliar à internet no Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 92,1% do acesso à rede passou a ser feito pelo dispositivo móvel. O dado é de 2015 e faz parte do suplemento de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgado nesta quinta-feira (22). Em relação à 2014, o uso do celular para acesso à internet aumentou em 11,7 pontos percentuais. Já o acesso por meio de tablete registrou queda de 0,8 p.p., correspondendo a 21,1% do acesso domiciliar. O acesso por meio da televisão correspondeu a 7,5% do total de acessos (aumento de 2,6 p.p.).

 

Coelba dá dicas de como usar o ar condicionado para economizar na conta de energia

Sábado | 24.12.2016 | 16h04


(Foto: Reprodução)

Com a chegada do verão o uso do ar-condicionado é ainda mais constante. Mas é importante estar atento ao valor da conta de energia que também aumenta nessa época do ano com o uso do eletrodoméstico por mais tempo. A Coelba dá algumas dicas para evitar sustos na hora de receber a conta no fim do mês.

  • Escolha a potência do ar condicionado adequada para o ambiente, isso vai evitar gastos excessivos;
  • Confira o consumo de energia antes da compra, os equipamentos vêm com SELO PROCEL e ENCE/INMETRO que informa o consumo de energia de todos os tipos e modelos de ar condicionando presentes no mercado

Negócios: Quantos empregos poderiam ser gerados com os Cassinos e Bingos no Brasil?

Sexta | 23.12.2016 | 20h01


(Foto: Reprodução)

Lugares como o Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, que chegou a lançar a cantora mais famosa do nosso país, símbolo dos tupiniquins, a incrível Carmem Miranda. Neste artigo, fique sabendo mais sobre o assunto: quantos empregos seriam gerados com os cassinos e bingos no Brasil? No Brasil, casas que trabalham com qualquer tipo de jogos foram completamente proibidas de funcionar no país a partir de 1946. Os motivos que levaram ao fechamento de tantos locais em pleno trabalho não ficaram muito claros na época, mas muitas pessoas dizem que o maior estímulo para que isso acontecesse foi a religião – por mais que o Brasil seja um país laico, somos o único país que não está sob a religião islâmica que proíbe o funcionamento de cassinos e bingos. Agora, vamos parar para pensar no assunto: com tamanha crise que passamos no atual momento da nossa economia, será que é mesmo uma boa ideia deixar as casas de jogos de fora? Imagine quantos empregos poderiam ser gerados com a reabertura de grandes lugares, que podem ajudar a aquecer novamente o turismo em muitas cidades e, consequentemente, melhorar a economia do país?! 

Quase 800 mil crianças se chamam Maria, diz instituto

Segunda | 19.12.2016 | 18h03


(Foto: Reprodução)

O nome mais comum entre as crianças registradas na Bahia entre as décadas de 1930 e os anos 2000 é Maria, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Logo atrás das Marias (766.238 registros), vêm os Josés (419.601), as Anas (216.404) e os Antônios (202.813). O nome Maria lidera todos os rankings desde a década de 30, perdendo para José somente nos anos 1990, quando aparece em quarto lugar. Nos anos 2000, os nomes Gabriel, Lucas, Pedro, Mateus e Gustavo ganharam destaque. Também começaram a figurar na lista dos 20 nomes mais comuns, segundo o IBGE, Vitória, Beatriz, Vitor e Bruno. O pico de registros de crianças com o nome Maria aconteceu na década de 1960, com 171.243 crianças batizadas assim em todo o estado. A maior queda foi nos anos 1990, mas o nome voltou a ganhar popularidade nas décadas de 2000.

Proposta que permite cobrar preço diferente no cartão opõe varejo e Procon

Domingo | 18.12.2016 | 18h04


(Foto: Reprodução)

Entidades de defesa do consumidor e representantes de lojistas divergem sobre aproposta do governo, ainda não aprovada, que permite que os comerciantes possam cobrar preços diferentes nas compras com cartão, dinheiro ou cheque. Pela medida, anunciada nesta quinta-feira (15) em umpacote de estímulo à economia, o comerciante pode passar a dar descontos ao consumidor que comprar com dinheiro, por exemplo. O governo não especificou como a medida seria implementada. Hoje a prática é proibida pela resolução 34/1989, do Conselho Nacional de Defesa do Consumidor. As operadoras de cartões cobram dos lojistas uma taxa para operar com o "dinheiro de plástico". Esse custo, somado a impostos como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é geralmente repassado ao consumidor e pode encarecer a mercadoria ou serviço. Sem a cobrança extra, o pagamento em dinheiro poderia ser mais barato. Ao defender a proposta, o governo afirma que a diferenciação de preços é vantajosa para o consumidor e “regulariza uma prática informal no comércio”. Também argumenta que ela estimula a competição entre os comerciantes. Para o diretor de relações institucionais da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luiz Augusto Ildefonso, se aprovada, a medida regulariza uma situação que não é comum, mas acontece “algumas vezes”. 

Quando beber muita água pode ser prejudicial à saúde

Domingo | 18.12.2016 | 16h02


(Foto: Reprodução)

A Recomendação dos médicos para quem está doente é clara: descanso e beber muito líquido. Mas, recentemente, médicos do Reino Unido começaram a destacar a importância de explicar exatamente quanta água precisamos beber quando não nos sentimos bem. A advertência veio dos médicos do King's College, de Londres. Eles trataram de uma mulher de 59 anos que estava sofrendo de hiponatremia depois de ingerir uma quantidade excessiva de água para tentar curar uma infecção urinária. A hiponatremia ocorre quando o nível de sódio, elemento que ajuda a controlar a quantidade de água nas células no sangue, fica abaixo do normal. Entre os sintomas estão náusea, vômitos e dor de cabeça. O paciente também pode apresentar confusão mental e até convulsões. Em casos mais graves, a pessoa pode morrer. O problema geralmente é observado em pessoas que praticam esportes de resistência, como maratonas, ou pessoas que consomem a droga ecstasy. Idosos também podem ser vulneráveis ao problema. Em um artigo na revista especializada BMJ Case Reports, os médicos explicaram que é o caso da mulher é raro em pessoas saudáveis, mas voltaram a alertar que é preciso especificar qual a quantidade de água os pacientes precisam. "Existe uma escassez de pesquisas que avaliem os riscos e benefícios do conselho 'beba mais fluidos'", escreveram os médicos.

Medo de dirigir afeta 2 milhões no Brasil

Domingo | 18.12.2016 | 14h03


(Foto: Reprodução)

Você pode nunca ter escutado falar na palavra Amaxofobia, mas com certeza já deve ter conhecido alguém que, mesmo habilitado, morre de medo de assumir o volante. Pois bem, uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina de Trânsito constatou que essa é a realizada de 10% da população brasileira apta para dirigir, o que corresponde a 2 milhões de pessoas em todo o país. As mulheres, 85%, e pessoas que têm de 30 e 45 anos são as que mais sofrem com esse tipo de fobia.   O pânico do volante, de acordo com a psicanalista e diretora do NitidaMente Instituto, Shirley Moraes, é mais comum em pessoas que sofreram algum acidente de trânsito – ainda que não estivessem no comando da direção. “Essas pessoas tendem a guardar traumas, o que torna mais difícil a retomada às atividades normais”, explica. A pesquisa corrobora com essa a afirmação, já que 40% dos entrevistados notificaram já ter sido vítima de algum acidente.  Mas, também existem aqueles que sofrem do problema logo após tirar a carteira de habilitação. De acordo com a especialista, o medo é normal no iniciante, já que faz parte da descoberta sobre o novo, mas é importante ficar atento ao nível deste receio da direção. 

 

Andar e correr descalço faz bem à saúde? Estudo não encontra riscos nem benefícios

Domingo | 11.12.2016 | 10h02


(Foto: Reprodução)

Esudos que abordam os efeitos de longo prazo do hábito de andar ou correr descalço são escassos. Uma nova revisão concluiu que há evidências limitadas da ocorrência de mais problemas nos pés relacionada a esse hábito. Além disso, não há evidência de um risco maior de lesões entre pessoas que têm esse costume, segundo a análise publicada no mês passado na revista "Medicine and Science in Sports and Exercise". "Tendo o grande 'debate sobre andar descalço' em mente, esperávamos mais evidências de efeitos de longo prazo da locomoção sem sapatos", disse o principal autor do estudo, Karsten Hollander, do Instituto da Ciência do Movimento Humano da Universidade de Hamburgo, na Alemanha. Algumas populações, por exemplo na África do Sul, incluem muitas pessoas que têm o hábito de ficar descalças, disse Hollander à Reuters Health. Ele e seus colegas estão atualmente preparando um estudo maior comparando crianças que andam descalças na África do Sul om crianças que andam calçadas na África do Sul e Alemanha para avaliar o desenvolvimento dos pés e a performance motora. Na revisão publicada em novembro, Hollander e sua equipe incluiu 15 estudos que avaliaram mais de 8 mil pessoas comparando dados sobre biomecânica, performance motora e patologias observadas normalmente em pessoas que andam descalças e calçadas. 

Cinco formas de evitar a armadilha de viver em sua própria 'bolha' no Facebook

Domingo | 11.12.2016 | 08h02


(Foto: Reprodução)

Quando comecei a trabalhar em um documentário, no começo de 2016, sobre as bolhas nas redes sociais, sabia pouco sobre este assunto que acabaria se transformando em uma das histórias que definiram este ano. Estava preocupado com as limitações de nossa presença digital em um sentido político e social. Devido a causas alheias à nossa vontade, a maioria de nós transformou nossas redes sociais em bolhas muito limitadas e agradáveis, fazendo com que as pessoas com pontos de vista políticos e sociais muito diferentes dos nossos não apareçam em nossas páginas no Facebook, por exemplo, apesar de, provavelmente, elas viverem ao lado de nossas casas. A culpa é das empresas que criam algoritmos para as redes sociais, cujas modificações estão programadas para nos mostrar o que "gostamos" na internet e coisas com as quais estamos de acordo. Curiosamente tudo isso tem como objetivo nos fazer mais felizes. Depois de conversar com vários especialistas, gurus da web e filósofos futuristas, descobri algumas formas de romper com esta bolha das redes sociais e caminhar para um futuro mais brilhante e, possivelmente, mais real. Veja alguns destes passos abaixo.

Impeachment, Olimpíada e Pokémon Go são assuntos mais falados no Facebook do Brasil em 2016

Sábado | 10.12.2016 | 16h01


(Foto: Reprodução)

O impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a Olimpíada do Rio de Janeiro e o game “Pokémon Go” foram os assuntos mais comentados do Facebook no Brasil em 2016, informou a rede social nesta quinta-feira (8). A pauta política dominou as conversas no site de Mark Zuckerberg. Outros dos dez tópicos mais discutidos na rede social foram a Lava-Jato e as eleições dos Estados Unidos. A lista traz ainda a tragédia que derrubou o avião da Chapecoense e as mortes de David Bowie ao 69 anos e de Fidel Castro, aos 90 anos. Outro dos assuntos mais falados é o vírus da zika. O curioso é que, em novembro, a própria rede social admitiu que três dos dez artigos mais compartilhados sobre a epidemia eram falsos. A rede social também liberou vídeos de retrospectiva do ano, em que os usuários poderão ver uma compilação de momentos marcantes publicados por eles ou sobre eles no Facebook. É possível ver esses vídeos no seguinte endereço: facebook.com/yearinreview2016.

Uso moderado de redes sociais é bom para saúde mental, diz pesquisa

Sábado | 10.12.2016 | 10h02


(Foto: Reprodução)

O uso regular de redes sociais contribui para a saúde mental, de acordo com uma pesquisa australiana. O estudo, publicado pela Universidade de Melbourne e pela Universidade de Monash nesta sexta-feira (9), analisou 70 pesquisas que examinaram a relação entre as redes sociais e depressão, ansiedade e bem-estar. Pesquisadores descobriram que as redes sociais muitas vezes se revelaram úteis para conectar as pessoas e fazer com que elas recebam apoio social, além de fornecerem uma fonte única de apoio para indivíduos que têm dificuldade com interações face a face. No entanto, as redes sociais não foram boas para todos, já que algumas pessoas frequentemente se comparavam a outras, afixavam pensamentos negativos ou eram viciadas em redes sociais, correndo maiores riscos de desenvolverem depressão e ansiedade.