BUSCA PELA CATEGORIA "Curiosidades"

Por que comer mais gordura é mais prejudicial para os homens do que para as mulheres?

  • Uol
  • 28 Fev 2017
  • 19:14h

(Foto: Reprodução)

As gorduras são essenciais em nossa dieta e especialistas recomendam que elas respondam por 20% a 30% das calorias que consumimos diariamente. Mesmo assim, é de conhecimento geral que comer muita gordura pode ser prejudicial para a saúde. Mas você sabia que o impacto em seu corpo vai depender se você for homem ou mulher? Essa é a conclusão de um estudo recente que acompanhou vários indivíduos de ambos os sexos. Durante uma semana, os participantes consumiram em excesso alimentos com alto nível de gordura tipo Omega-6, como salsichas e salgados. Os pesquisadores também analisaram como a ingestão afetou a capacidade deles de controlar o nível de açúcar no sangue. A médica Zoe Williams decidiu se submeter ao experimento para a BBC. Ela pediu ao responsável pelo estudo, Matt Cocks, da Universidade Moores em Liverpool, no Reino Unido, que não só repetisse os testes com ela, como participasse deles. Antes de começar, foram medidos os níveis de gordura e de açúcar no sangue dos dois. Zoe e Cocks também precisaram carregar monitores portáteis de glicose, para registrar a evolução do nível de açúçar no sangue durante a semana em que a pesquisa foi realizada. Além disso, eles tiveram de comer 50% a mais de gordura do que o normal, da seguinte forma:

Açúcar no sangue

Além da variação de peso, os monitores de glicose mostravam se a dieta estava afetando a capacidade de ambos para eliminar açúcar do sangue. Para Zoe, não houve qualquer problema. Mas para Matt a capacidade para eliminar o açúcar piorou em 50%. O resultado do estudo conduzido pelo especialista com outros participantes havia sido semelhante, e, em média, a capacidade para metabolizar o açúcar nos homens que se submeteram à dieta rica em gordura piorou 14%. “Um dos primeiros passos rumo à diabetes tipo 2 é a deterioração do controle da glicose”, explica o médico após o experimento.  “No meu caso, piorou seriamente a capacidade para controlar o nível de açúcar e, se eu tivesse continuado assim por um tempo prolongado, provavelmente teria desenvolvido diabetes tipo 2”, reconhece. O experimento ajuda a entender por que esse tipo de diabetes afeta mais homens do que mulheres. A dieta submetida por Zoe e por Cocks foi extrema, mas as mesmas consequências – embora em menor grau – podem ser sentidas por pessoas que consomem muita gordura regularmente, sobretudo homens.

Diante disso, o que devemos fazer?

A melhor recomendação é ter uma dieta balanceada, aliada, se possível, à prática de exercícios físicos. “Se você come e depois faz exercício, vai começar a queimar o que ingeriu”, explica Cocks. “Dessa forma, se seu almoço for rico em açúcares e gorduras, você pode contrabalancear seus efeitos negativos com uma leve caminhada depois”, completa.

CONTINUE LENDO

Comum no Carnaval, doença do beijo pode ser confundida com a gripe

  • 22 Fev 2017
  • 19:14h

(Foto: Reprodução)

Chamada mononucleose, a doença transmitida pela saliva causa febre e dor de garganta Nem só de marchinhas, serpentina e fantasias se faz o Carnaval. Essa época do ano também é conhecida pelos romances­relâmpagos de quem curte a festa na avenida ou em blocos de rua. Além de ser divertida, a paquera faz parte da folia, mas o problema é que os solteiros ficam mais expostos à mononucleose, também conhecida como “a doença do beijo”. O vírus, que é da mesma família do herpes, apresenta sintomas que podem ser confundidos com uma gripe ou resfriado, como dor de garganta, febre e gânglios inchados. O nome popular surgiu com a forma de transmissão da doença, que acontece principalmente pelo contato íntimo e troca de saliva. “É uma doença benigna, mas pessoas que têm leucemia, linfoma ou usam corticoides podem apresentar quadros mais graves”, disse Marcos Antonio Cyrillo, diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia. Com a ajuda de Cyrillo e de Bianca Grassi de Miranda, infectologista do Hospital Samaritano de São Paulo, o site tirou as principais dúvidas sobre a doença do beijo antes de você cair na folia. Confira a seguir.
 

A transmissão acontece apenas pelo beijo? Não necessariamente. De acordo com Marcos Antonio, alguns casos raros também podem envolver uso do mesmo copo ou talher, mas o beijo é a principal forma de transmissão. “É mais comum pelo contato íntimo entre uma pessoa infectada e outra não”, disse. Quais são os sintomas da doença? No início, a doença pode ser confundida com a gripe. ”Muitas vezes (a mononucleose) é assintomática, ou seja, a pessoa infectada não sente nada ou sente sintomas leves, incaracterísticos. Mas pode causar febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo, dor nas articulações, aumento dos gânglios da região do pescoço principalmente e manchas na pele. O período de incubação pode durar entre 30 e 45 dias”, explica Bianca. Em casos mais graves, geralmente para pacientes com imunidade baixa, a doença pode causar complicações como anemia e meningite. É possível adquirir mononucleose mais de uma vez na vida? Não. Depois de ser contaminado com a mononucleose, o corpo produz anticorpos específicos para se defender da doença. “O organismo combate o vírus, mas ele pode ficar no corpo durante muito tempo. Por isso, se o paciente tiver imunidade baixa, os sintomas podem voltar”, explica o diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia. O problema é mais comum em homens ou mulheres? A transmissão do vírus é igualmente comum para homens e mulheres, mas, de acordo com Bianca, a mononucleose é mais frequente em crianças e adultos jovens, entre 15 e 25 anos. Como é feito o diagnóstico? A partir do momento em que notar os sintomas, o ideal é procurar um médico. O diagnóstico é clínico, associado a exames de sangue. “Para confirmação laboratorial pode­se fazer a sorologia (detecção de anticorpos do tipo IgM e IgG) ou até demonstração do DNA do vírus por técnicas de biologia molecular (usado em casos muito específicos apenas)”, detalha Bianca. A doença tem tratamento? Não. O organismo combate sozinho a mononucleose. “Depois de contaminado, o mais indicado é repousar até o organismo se recuperar”, indica Cyrillo. O que pode ser feito é um tratamento para aliviar os sintomas. “A doença é na imensa maioria dos casos autolimitada e se resolve sozinha. Em alguns casos de acometimento das vias respiratórias o uso de corticoides pode ser benéfico”, aconselha a infectologista do Hospital Samaritano. Quais são as dicas para evitar o problema? Como a doença é transmitida pelo beijo, a principal dica para prevenção é evitar o contato com pessoas infectadas. “Além de higienizar sempre as mãos, o mais indicado é evitar locais com muita gente e o contato com pessoas com sintomas gripais ­ que pode ser a mononucleose ­ , manchas na pele e dor de garganta”, disse Marcos Antonio. (Via site do Terra)

CONTINUE LENDO

Tempo de suspensão por 20 pontos na CNH aumentou; tire dúvidas

  • 18 Fev 2017
  • 17:06h

O Tempo mínimo de suspensão para quem atingiu 20 pontos ou mais na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dentro de 1 ano aumentou em novembro passado. Foi de 1 mês para 6 meses. A mudança aconteceu na mesma época em que o valor de todas as multas foi reajustado e começaram a valer outras alterações no Código de Trânsito. O prazo máximo de suspensão para quem acumula 20 pontos ou mais continua sendo de 1 ano. Para quem voltar a atingir essa pontuação dentro de 1 ano, a penalidade mínima passou de 6 para 8 meses. A máxima continua em 2 anos. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), no entanto, para o motorista estar sujeito aos novos prazos, todos os pontos têm de ter sido atribuídos depois de 1º de novembro, quando a mudança na lei começou a valer. Por isso, levando também em conta que existe um tempo entre o cometimento de uma infração e a suspensão ser efetivada, ainda não há muitos motoristas submetidos ao novo prazo, diz o Detran-SP. Veja abaixo perguntas e respostas sobre a suspensão da CNH.

1) O prazo de suspensão para quem atinge 20 pontos ou mais na CNH mudou?

Sim. Desde 1º de novembro de 2016, o tempo mínimo de suspensão do direito de dirigir para quem atinge 20 pontos na carteira em 1 ano passou de 1 mês para 6 meses. O prazo máximo continua sendo de 1 ano. Se o motorista voltar a atingir essa pontuação dentro de 1 ano, a penalidade passou a ser de 8 meses a 2 anos; antes eram 6 meses a 2 anos. Isso está na lei 13.281, que alterou o artigo 261 do Código de Trânsito Brasileiro.

2) A mudança já está valendo?

A lei passou a vigorar em 1º de novembro de 2016. Mas, para o motorista estar sujeito aos novos prazos, todos os pontos têm de ter sido atribuídos a partir dessa data, informa o Denatran.

3) Quem define se o motorista ficará suspenso por 6 meses ou mais?

Segundo o Denatran, "o período de suspensão será definido pela autoridade de trânsito responsável pela aplicação da penalidade", ou seja, os Detrans. O Detran-SP informou que o tempo varia "de acordo com o tipo e a gravidade das infrações, além de ser levado em conta o histórico do condutor (se é reincidente em suspensão, se já teve a CNH cassada, etc.)". O tempo de suspensão é informado quando a penalidade é confirmada, após os prazos para defesa do condutor.

4) Existem casos em que a suspensão é maior?

O prazo de suspensão para quem torna a atingir 20 pontos ou mais em 1 ano é maior, de 8 meses a 2 anos. Além disso, existem infrações em que é prevista a suspensão do direito de dirigir independentemente do número de pontos que o motorista tenha. Algumas dessas infrações já têm o período de suspensão definido, como dirigir alcoolizado ou recusar teste do bafômetro (1 ano). Outras, como guiar moto sem capacete ou dirigir em velocidade 50% acima do limite da via, não têm um prazo especificado na lei. Nesse caso, o tempo de suspensão vai variar de 2 a 8 meses.

5) Como fico sabendo quantos pontos tenho?

Os Detrans costumam disponibilizar a consulta nos sites. Alguns oferecem o serviço de aviso quando o motorista está prestes a atingir 20 pontos. É o caso do Detran-SP: quem se cadastra no site e autoriza o envio de SMS recebe mensagem quando atinge de 12 a 19 pontos.

6) Como descubro se minha CNH foi suspensa?

O motorista é notificado, via correio, pelo Detran; para isso, é preciso manter os dados atualizados no departamento. Primeiro, ele é avisado de que foi instaurado o processo de suspensão do direito de dirigir. O condutor tem um prazo para se defender. Se a punição for confirmada, ele será avisado disso e do prazo de suspensão. Os nomes dos motoristas que correm o risco de ter a CNH suspensa e dos que tiveram a suspensão efetivada também são divulgados no Diário Oficial do Estado.

7) Posso recorrer da suspensão?

Sim. Após receber a notificação da abertura do processo de suspensão, o motorista pode apresentar sua defesa por escrito em 1ª instância, até a data-limite que consta na carta enviada pelo órgão. Segundo Detran-SP, a data-limite sempre dá um prazo de pelo menos 30 dias a partir da entrega da correspondência para o condutor apresentar a defesa. A contagem do prazo de suspensão não começa enquanto não sair o resultado da análise da defesa. Caso o recurso seja indeferido (recusado), o condutor poderá recorrer em 2ª instância ao Conselho Estadual de Trânsito (Cetran). O recurso deve ser feito por escrito e entregue em até 30 dias a partir do resultado da análise do primeiro recurso. Se todos os recursos forem indeferidos, a penalidade de suspensão do direito de dirigir será aplicada.

8) O que acontece depois que fui suspenso?

É preciso entregar a CNH ao Detran e fazer o curso de reciclagem no Detran ou em um Centro de Formação de Condutores (CFC) credenciado. Alguns estados, como o de SP, permitem fazer o curso online, em CFCs autorizados. Para saber se há essa possibilidade, consulte o Detran do seu estado. Após cumprir o prazo de suspensão, o motorista deve entregar o certificado do curso de reciclagem e solicitar a retomada da CNH.

9) Qual a punição por dirigir com a CNH suspensa?

Quem for pego nessa condição terá a CNH cassada. Além disso, trata-se de infração gravíssima com o valor da multa multiplicado por 3.

10) Qual a diferença entre suspensão e cassação da CNH?

A cassação é uma punição mais severa: o motorista perde o direito de dirigir por 2 anos. Ela acontece se o condutor que estiver cumprindo suspensão for pego dirigindo ou em casos de reincidência, dentro de 1 ano, de determinadas infrações, como dirigir sem a CNH ou com habilitação de categoria diferente, dirigir alcoolizado, etc. Se o motorista tiver a CNH cassada enquanto ainda cumpre suspensão, somente após o término do tempo de suspensão e realização do curso de reciclagem é que a penalidade de cassação começa a ser contada. A partir daí, o motorista pode recorrer da cassação. Após o cumprimento do prazo da penalidade de cassação, o condutor pede autorização ao Detran para iniciar o processo de reabilitação, se quiser voltar a dirigir. É preciso fazer todos os exames como se fosse tirar a habilitação pela 1ª vez (médico, psicológico, prova teórica, prática...), mas, em vez de aulas de autoescola, a pessoa passa por um curso de reciclagem.

11) Se fui notificado sobre uma multa, quais são os meios legais para não ficar com os pontos?

Se o motorista perceber erros ou inconsistências na Notificação de Autuação de Infração de Trânsito ou no Auto de Infração de Trânsito, ele pode fazer uma defesa prévia – ou seja, antes da aplicação da penalidade. Se a defesa não for feita ou não for aceita, ele receberá a multa e poderá entrar com recurso na 1ª instância à Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari), dentro do prazo estabelecido. Há ainda a possibilidade de recorrer em 2ª instância ao Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran). Caso, no momento do cometimento da infração, outra pessoa estiver ao volante do veículo, o motorista poderá apontar o infrator, preenchendo o formulário que existe no documento de notificação da infração e anexando a cópia da CNH da pessoa indicada, que também deve assinar o formulário. O Detran-SP alerta que esses processos têm a mesma duração se forem feitos pelo motorista junto ao Detran ou por meio de despachantes.

12) Posso converter multa em advertência?

Sim, em certos casos. O motorista pode fazer isso após ser notificado da infração, dentro do prazo de defesa (30 dias, em média). Mas a advertência só é possível nas seguintes situações:

- a infração de trânsito deve ter sido de natureza leve ou média (3 ou 4 pontos), como a multa por desrespeitar o rodízio de veículos em São Paulo;

- o condutor não pode ter cometido o mesmo tipo de infração nos últimos 12 meses;

- a CNH deverá estar em situação regular (não ter sido cassada ou suspensa).

13) Quem é motorista profissional também é suspenso?

Sim, se alcançar os 20 pontos dentro de 1 ano. Porém, desde 2015, quem exerce atividade remunerada em veículo, habilitado na categoria C (ex: caminhão), D (ônibus) ou E (veículo com reboque acoplado), pode optar por participar de curso preventivo de reciclagem sempre que, no período de 1 ano, atingir 14 pontos. Após a conclusão do curso, a pontuação é eliminada. O motorista, no entanto, não pode solicitar o curso preventivo mais de uma vez dentro de 1 ano.

CONTINUE LENDO

Por que dormir mais de 7 horas pode ajudar a perder peso

  • 12 Fev 2017
  • 17:02h

(Foto: Reprodução)

Quando questão é controlar o peso, normalmente recorremos a dietas e exercícios. Mas diversos estudos científicos sugerem que, se o objetivo é reduzir as calorias, também devemos prestar atenção na quantidade de sono. Uma pesquisa recente da universidade britânica King's College London revisou dezenas de pequenos estudos sobre a relação entre uma boa noite de sono e o apetite. Embora nem todos sejam afetados da mesma maneira, a pesquisa conclui que, em geral, dormir menos de sete horas por noite leva as pessoas a comerem muito mais. O programa da BBC Trust me, I'm a doctor ("Confia em mim, sou médico", em tradução livre para o português), realizou um pequeno experimento com quatro pessoas para testar essa teoria. O teste mostrou que os três voluntários que tiveram o sono interrompido diversas vezes durante a noite, graças a um bebê de brinquedo pré-programado para chorar regularmente, comeram mais do que o habitual no café da manhã e/ou escolheram alimentos menos saudáveis. Em contrapartida, o voluntário sortudo que dormiu bem fez sua refeição como de costume.

Por quê?

Segundo os pesquisadores, uma noite de sono interrompido afeta dois hormônios-chave relacionados à fome. Por um lado, gera um aumento do hormônio grelina, que estimula determinados neurônios hipotalâmicos, provocando um aumento do apetite. Por outro, suprime um hormônio chamado leptina, que normalmente emite um sinal que informa ao hipotálamo que o corpo já tem reservas suficientes, ou seja, que estamos saciados, e o apetite deve ser inibido. Além disso, alguns estudos sugerem que, quando somos expostos à comida em um estado de privação do sono, há uma ativação maior em áreas do cérebro associadas com recompensa. Isso pode fazer com que escolhamos alimentos com maior teor de açúcar e gordura, ao invés de outras opções mais saudáveis. Todos esses fatores ajudam a explicar por que, a longo prazo, existe uma forte ligação entre dormir mal, aumento de peso e outros problemas de saúde, como diabetes tipo 2. Assim, a recomendação dos médicos do programa da BBC é que, se você tem problemas para manter o peso ou para resistir à tentação de alimentos menos saudáveis, considere aumentar suas horas de sono. Pode ser uma forma fácil, barata e agradável de fazer a diferença na dieta.

CONTINUE LENDO

Música ajuda a prevenir e frear desenvolvimento de Alzheimer, diz estudo

  • 12 Fev 2017
  • 15:04h

(Foto: Reprodução)

Toca uma música antiga no rádio e, de repente, você se vê cantando junto. Já passou por isso? Mesmo sem nem lembrar que a canção existia, de alguma forma ela estava lá, armazenada na sua cabeça. Há alguns anos, cientistas do Instituto Max Planck de Neurociência e da Cognição Humana, em Leipzig, na Alemanha, se questionaram por que pacientes com Alzheimer conseguiam se lembrar de melodias ou apresentar fortes emoções ao ouvir canções que marcaram suas vidas. Foi quando eles descobriram que a música fica armazenada em uma parte diferente do cérebro da que guarda a maior parte das nossas memórias. O documentário "Alive Inside" mostra isso na prática. Um dos pacientes com Alzheimer retratados no filme começa a responder sobre seu passado com lucidez logo após ouvir uma música. Custódio Michailowsky, neurologista do Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional do Hospital 9 de Julho, explica que o uso da musicoterapia no tratamento de pacientes com Alzheimer está bem estabelecido. 

"Ela pode trazer memórias passadas e retardar o processo de degeneração", explica. Além disso, a música ainda pode ajudar na socialização do paciente. "Se a pessoa se isola, isso vira uma bola de neve. A música traz emoção, traz motivação para a pessoa. Além de fazer dançar, se mexer", afirma Michailowsky. Portanto, pode-se dizer que ela estimula até a atividade física. Mesmo quem não tem Alzheimer pode se beneficiar muito com o conhecimento musical. "É importante a ativação das atividades artísticas. Através da educação artística, o cérebro se desenvolve mais rapidamente. Pode ser pela música, escultura, desenho...", defende o especialista. "Pessoas que têm a habilidade de ouvir uma música e tocá-la ou identificar as notas têm o lobo temporal esquerdo melhor desenvolvido", explica. A música "exercita" diversas partes do cérebro ao mesmo tempo, o que ajuda a prevenir o Alzheimer. "Acredita-se que a única forma de nos comunicarmos com uma civilização de fora da Terra, se encontrarmos uma, é pela música", relata, ainda Michailowsky, já que as notas musicais transmitem sensações sem precisar de palavras. "A música é muito importante. É umas das coisas que mais provocam excitação do cérebro. Além dos circuitos, há liberação de substâncias, como a serotonina e até algumas análogas da morfina", finaliza o neurologista.

CONTINUE LENDO

Mandou mensagem errada no WhatsApp? Veja como apagar

  • 07 Fev 2017
  • 09:24h

(Foto: Reprodução)

Quem nunca? Mandar mensagem errada no WhatsApp – com erros, ou para a pessoa errada, é mais comum do que se imagina. Por isso vem aí uma nova função para apagar ou editar a mensagem antes que ela seja lida pelo destinatário. Sim, será possível deletar, ou alterar mensagens, mesmo se elas já tiverem sido entregues ao celular da outra pessoa. A boa nova vale enquanto aquele ícone de entrega estiver cinza. Então você terá que ser bem rápido. Depois que aparecerem as marquinhas azuis, já era! Como Para editar ou alterar, basta tocar na mensagem. Aí vai aparecer um menu com as opções. Você deve tocar em Revoke, ou Revogar… e pronto! A pessoa do outro lado verá apenas que o texto foi editado, ou que você deletou a mensagem. Aparecerá um aviso dizendo: “esta mensagem foi revogada pelo remetente”. A novidade deve chegar em breve à versão oficial. Ela está em testes, na versão beta do WhatsApp

Ligre, raro híbrido de leão e tigre, nasce na Rússia

  • Veja
  • 05 Fev 2017
  • 12:00h

(Yuri MALTSEV/AFP)

Um raro bebê ligre, híbrido que resulta do cruzamento entre um leão e uma tigresa, nasceu em um zoológico itinerante na região de Rostov del Don, no sul da Rússia. Batizado Zar, o felino é resultado da união entre a tigresa Princesa, e o leão Caesar. Os pais do ligre “vivem juntos há muito tempo e se conhecem bem. Quando a tigresa ficou no cio, ela não tinha outra opção [para acasalar]”, disse Erik Airapetian, diretor do local. Os ligres são animais extremamente raros, já que a probabilidade de que nasçam em liberdade é quase nula. Os tigres vivem na Ásia, e o hábitat dos leões fica na África. Por essa razão, atualmente, há apenas cerca de 20 ligres no mundo. Existem também os tigreões, que resultam do cruzamento de uma leoa e um tigre, mas são bem menores que os pais. O pequeno Zar tem a pele bege, própria dos leões, e o rosto coberto de listras, como os tigres, e está sendo alimentado com o leite de uma das cabras do zoológico. Por enquanto, seu tamanho não ultrapassa o de um gato, mas o ligre adulto é sempre maior do que seus pais. Ele pode chegar a pesar 400 quilos, enquanto o peso máximo de um tigre é de cerca de 300 quilos, e o de um leão, de 250 quilos. Nos Estados Unidos, o ligre Hércules, que pesa 418 kg e mede 3,33 metros, é oficialmente o maior felino do mundo, registrado no Livro Guinness dos recordes.

Por que é tão difícil dormir em noites quentes?

  • Veja
  • 24 Jan 2017
  • 20:15h

(Foto: Ilustração)

Há quem ame e quem odeie o verão. Mas mesmo os amantes da estação tendem a concordar que é difícil adormecer e ter um sono de qualidade em noites muito quentes – a menos que você tenha um ar condicionado. Geralmente, a manhã seguinte a uma noite de verão sufocante se reflete em um despertar não muito agradável. Você acorda meio grogue, cansado, irritado, quase como se estivesse de ressaca. Mas, por que isso acontece? De acordo com o especialista em sono David Hillman, em entrevista à emissora de rádio australiana ABC Radio Sydney, quando a temperatura externa supera os 24ºC nós ultrapassamos a chamada zona termoneutra – quando a temperatura interna do corpo está em equilíbrio com a temperatura externa. Nossa temperatura corporal média é de 37ºC e o corpo consegue mantê-la de forma confortável quando a temperatura externa está em 24ºC. Porém, em um clima mais quente, o corpo começa a se sentir desconfortável e precisa trabalhar mais para manter essa autorregulação interna. 

Isso faz com que os vasos sanguíneos perto da superfície do corpo dilatem, o que, por sua vez, aumenta a quantidade de suor, necessário para manter a temperatura corporal baixa. “Então, mesmo quando você está deitado na cama dormindo, seu corpo está produzindo energia equivalente a uma lâmpada de 100 watts e essa temperatura extra precisa ser eliminada. Se seu corpo considera alguma coisa ameaçadora [como o aumento da temperatura externa], ele irá despertá-lo. Se o sono é interrompido o suficiente para te colocar em um estado de sono-restrito, as coisas não funcionam tão bem.”, explicou Hillman, que também é presidente da Sleep Health Foundation. Se a superfície do corpo não puder ser resfriada, a temperatura interna também irá subir e há a possibilidade até de surgir uma febre. Por isso, é importante tentar resfriar seu corpo durante a noite. Algumas dicas para facilitar esse processo e ter um sono mais tranquilo: Colocar um balde de água ao lado da cama e molhar regularmente uma toalha durante a noite; Preferir roupa de cama e pijamas de algodão; Ter um ventilador; Dê espaço a seu parceiro. Se você dorme acompanhado, o ideal, nessas noites, é que cada um se mantenha do seu lado da cama. Segundo Hillman, “uma noite quente não é um momento para dormir de conchinha”.

CONTINUE LENDO

Saiba por que cachorros grandes vivem menos

  • Veja
  • 15 Jan 2017
  • 18:07h

(Foto: Reprodução)

Na maioria dos mamíferos, quanto maior o tamanho do animal, maior é a sua expectativa de vida. No caso dos cães, no entanto, essa lógica é invertida. Cachorros menores tendem a viver mais do que os de grande porte. Segundo uma pesquisa da Sociedade para Biologia Integrativa e Comparativa, a causa mais provável é que a maior concentração de radicais livres de oxigênio presente nos filhotes de raças grandes esteja diminuindo sua expectativa de vida. Para conseguir energia suficiente para crescer e realizar suas atividades, o corpo precisa quebrar nutrientes presentes no alimento ingerido. Porém, quando isso acontece, algumas moléculas chamadas de radicais livres também são fabricadas no processo – moléculas instáveis que apresentam um elétron e reagem facilmente, podendo oxidar. O problema desses subprodutos é que eles podem danificar as membranas das células e eventualmente contribuir para o desenvolvimento de câncer e outras doenças. Alguns estudos também sugerem que eles podem contribuir para o envelhecimento, embora essa afirmação ainda não seja consenso entre especialistas.

 

Chance de morte por AVC é menor entre casados, aponta pesquisa

  • 01 Jan 2017
  • 15:04h

(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Duke, nos Estados Unidos, identificou uma menor probabilidade de morte por Acidente Vascular Cerebral (AVC) entre pessoas casadas. O risco de morte de quem nunca casou é quase 55% maior, usando os casados como base. Já os viúvos têm aumento de 32% na chance de morrer, com o mesmo referencial. Segundo o blog Cadê a Cura, da Folha de S. Paulo, a maior vantagem é registrada entre aqueles que têm uma única e contínua união. Para o pesquisador Matthew Dupre, líder da pesquisa, pesquisas similares podem ajudar os provedores de saúde a atender e prevenir derrames e mortes em quem corre maior risco. Foram analisados dados de quase 10 mil norte-americanos com mais de 50 anos de idade.

Não vai tão cedo: astronomia faz dia 31 de dezembro ter um segundo a mais

  • Bahia Notícias
  • 31 Dez 2016
  • 08:02h

(Foto: Reprodução)

Enquanto muitas pessoas desejam o fim de 2016, os astros trabalham para atrasar a virada de ano. O último minuto do dia 31 de dezembro será prolongado e terá 61 segundos de duração. A alteração acontece para compensar as pequenas variações na duração do dia que se acumularam e provocam distorções entre o tempo marcado nos relógios atômicos e o período de rotação da Terra. Quando a diferença supera 0,9 segundo, o Serviço Internacional da Rotação Terrestre decide "mudar" o tempo. Segundo Francisco Colomer, do Observatório Astronômico Nacional da Espanha (OAN-IGN), o período de um dia não dura 24 horas exatas: "é uma aproximação". Esta não é a primeira vez que um dia ganha um segundo a mais, chamado de "segundo intercalar". A última vez aconteceu no dia 30 de junho do ano passado. O último caso em um Réveillon foi em 2008.

Comércio pela internet cresce na contramão da crise

  • 29 Dez 2016
  • 20:01h

(Foto: Reprodução)

A gente vem falando em crise, queda nas vendas no Natal. Mas se tem um setor que está terminando o ano com crescimento é o comércio pela internet. O principal motivo é o crescimento da base de consumidores. Tem cada vez mais gente conectada, nos computadores e celulares. O outro motivo é que o setor também aumentou a eficiência e, com isso, vem ganhando a confiança dos compradores.

Sofrimento emocional pode levar a problemas cardiovasculares

  • 29 Dez 2016
  • 19:04h

(Foto: Reprodução)

A reação próxima entre sofrimentos emocionais intensos e a ocorrência de problemas cardiovasculares pode explicar alguns dos casos em que um paciente tem um mal súbito pouco tempo depois da morte de uma pessoa próxima. É o que pode ter ocorrido com a atriz Debbie Reynolds, de 84 anos, que morreu nesta quarta-feira (28) apenas um dia depois de sua filha, a atriz e escritora Carrie Fisher. Debbie sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e seu quadro chegou a ser classificado como de moderado a grave, mas ela acabou não resistindo. Segundo o cardiologista José Ibis Coelho das Neves, do Hospital BP (Beneficência Portuguesa de São Paulo), um AVC pode ser desencadeado por um estresse emocional agudo. “Um evento de estresse pode ser o gatilho do aparecimento desse processo. Por isso vemos pessoas que passaram por um estresse grande e tiveram AVC logo em seguida."

Outra ocorrência comum entre pessoas que sofreram uma grande perda, como a morte de alguém querido ou o fim de um relacionamento, é a chamada síndrome do coração partido, que também pode acometer quem sofreu um trauma como um assalto ou um acidente, por exemplo. “Essas circunstâncias podem desencadear uma descarga hormonal muito intensa que afeta o coração causando essa síndrome que se apresenta como um infarto, com fibrilação atrial e até parada cardíaca”, explica o especialista. Os sintomas da síndrome são dor no peito e falta de ar. No eletrocardiograma, o caso é muito similar ao infarto. Somente o ecocardiograma será capaz de diagnosticar a síndrome, cuja característica mais marcante é que o ventrículo esquerdo do coração fica no formato de um vaso. É por isso que a síndrome é também chamada de tako-tsubo, nome em japonês que se refere a um vaso usado para capturar polvos. O problema pode aparecer em pessoas que nunca tiveram histórico de doenças cardiovasculares e é mais incidente em mulheres de meia idade. “Felizmente, na grande maioria das vezes há reversão completa do quadro, sem deixar sequela”, diz Neves.

CONTINUE LENDO

Avós que cuidam dos netos têm maior expectativa de vida, aponta pesquisa

  • 28 Dez 2016
  • 19:03h

(Foto: Reprodução)

Um estudo desenvolvido na Alemanha descobriu que ajudar na criação dos descendentes é benéfico para a expectativa de vida. Os pesquisadores analisaram dados de 500 pessoas, com idades entre 70 e 103 anos, acompanhadas pelo Estudo de Envelhecimento de Berlim ao longo de 19 anos. Foi analisada a diferença da taxa de mortalidade entre avós que ajudam na criação dos netos e idosos sem netos ou que não convivem com eles. Segundo a revista Super Interessante, os resultados mostraram que a convivência com os netos reduz em 37% o risco de mortalidade. Metade do grupo dos avós participantes viveu por dez anos após o início do estudo. No outro grupo, metade viveu por apenas mais cinco anos. Entre os idosos que ajudavam os filhos, a expectativa de vida registrada também foi maior. A sobrevida média foi de sete anos, em comparação com os quatro anos vividos por aqueles que não mantinham uma relação de colaboração. Os pesquisadores disseram acreditar que a relação com a família e de responsabilidade dentro dela ajuda a uma manutenção do estado físico e psicológico de idosos.

Presente entregue fora do prazo vale indenização; saiba o que fazer

  • 26 Dez 2016
  • 14:26h

(Foto: Reprodução)

Encontrar o presente perfeito pode levar tempo e, às vezes, só dá para encontrá-lo pela internet. Mas, imagina se a lembrança comprada para o Natal atrasa e só chega após a festa? Pois é, o Natal passou e muita gente acabou enfrentando mesmo problema. Foi justamente o que aconteceu com o analista de sistemas Pedro Dantas, 27 anos.  “Eu comprei um livro para um amigo secreto, mas acabou que o livro atrasou e não chegou a tempo. Como não podia participar do amigo secreto sem presente, tive que comprar o presente na própria loja física, o que acabou saindo mais caro, quase o dobro do valor”, reclama. 

De acordo com informações do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor da Bahia (Procon-BA), dá para recuperar o prejuízo. Os clientes que não receberam seus produtos no prazo de entrega previsto podem acionar os fornecedores através dos Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor ou mesmo judicialmente. O Código de Defesa do Consumidor garante que ele receba o seu produto ou mesmo o dinheiro no valor da compra, nos casos em que o atraso tenha ocorrido por um erro da empresa fornecedora. Vender um produto pela internet exige não apenas a responsabilidade da empresa em enviar o item comprado no prazo determinado. O cliente ainda precisa que os Correios façam o transporte e a entrega em tempo hábil, conforme prazo acordado entre cliente e vendedor. 

Transtorno 
Foi por um erro dos Correios que o gastrônomo Frank Almeida, 34 anos, não recebeu no tempo acordado o presente que daria para a mãe no Natal do ano passado. Segundo ele, a compra foi efetuada com um período de 30 dias de antecedência à data do Natal, exatamente para garantir que o produto chegasse à tempo. Os itens comprados, um mixer e um conjunto de taças, chegaram apenas poucos dias antes do Ano-novo. “Eu comprei 30 dias antes para garantir que chegasse a tempo. Eles me deram um prazo de 11 dias para o produto ser entregue, mas demorou quase 40 dias para chegar. No final das contas, eu paguei por um frete mais caro, porque foi Sedex, e não recebi o produto a tempo”, afirma. Em resposta aos questionamentos do cliente, a empresa alegou que o erro foi dos Correios e que o material foi enviado na data prevista.  Frank conta que os Correios admitiram o erro e não cobraram pelo transporte da mercadoria - medida padrão quando a empresa se responsabiliza por um erro no transporte de mercadoria. Porém, o desconto foi passado à empresa fornecedora e não ao cliente, já que o reembolso ou isenção do frente é feito ao contratante e não ao destinatário do item. Segundo os Correios, é possível fazer reclamações sobre produtos que não chegaram ou não foram entregues no prazo até 90 dias após a data prevista para a entrega. A empresa também costuma pagar indenizações por atraso, extravio, roubo, entrega indevida, espoliação, avaria total ou parcial, devolução indevida e serviços não prestados. O gastrônomo conta que entrou em contato com a empresa fornecedora, mas chegou a ser tratado com grosseria. Até prometeram devolver o valor do frete, o que nunca foi feito. “O que a lei diz é que ele  tem o direito de ser ressarcido. Se ele pagou o frete,  tem o direito de receber o dinheiro de volta”, afirma o advogado Dori Boucault, especialista em Direito do Consumidor e também do Fornecedor.

Interesse em resolver 
Conforme Maurício Salvador, presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), as lojas procuram oferecer um prazo de entrega maior do que o necessário justamente para evitar esses casos de atrasos. “Se uma loja demora quatro dias para entregar, por exemplo, ela informa seis ou oito. Dessa forma, a expectativa do consumidor fica mais controlada”, afirma Salvador. 

Cliente lesado pode acionar o Procon
Em casos de extravio ou perda da mercadoria, o Procon-BA explica que o consumidor pode obrigar que o fornecedor cumpra a oferta. Ou seja, quem vendeu tem que entregar o produto, enviar outro caso o cliente concorde, prestar um serviço equivalente ao contratado ou, ainda, rescindir o contrato. Nesse caso, o cliente tem direito a receber uma restituição da quantia paga antecipadamente, com  correção monetária referente a perdas e danos, conforme consta no artigo 35 do Código de Defesa ao Consumidor (CDC). “Essa correção monetária é calculada com base na inflação do período ou no chamado grave dano ocorrido. É uma compensação financeira que satisfaça o consumidor e penalize o comerciante. E tem que ser uma coisa que incomode financeiramente o comerciante, porque se for uma quantia muito irrisória não vai surtir efeito”, afirma o advogado Dori Boucault, especialista em Direito do Consumidor e do Fornecedor. Além de multa, o vendedor ou prestador de serviço que não cumprir o prazo especificado no momento da venda ou não entregar a mercadoria pode ser notificado pelo Procon.  “Se a loja já foi autuada e reincide na mesma infração, ela pode receber uma multa maior, por causa da chamada reincidência do ato”, conta o especialista em direito do Consumidor e do Fornecedor. Boucault esclarece ainda que outras posturas podem ser adotadas pelo Procon, como a suspensão temporária do funcionamento da loja ou mesmo a retirada do site do ar.  Há também a possibilidade do cliente prestar uma reclamação individual em qualquer posto de atendimento do Procon. Nesses casos, o órgão faz a abertura de um processo administrativo. O passo seguinte a ser adotado pelo Procon é marcar uma audiência conciliatória entre as duas partes.

CONTINUE LENDO